A história da ‘Amora’ de Renato Teixeira

Renato Teixeira escrevia jingles nos joelhos, de última hora. “Ele tem histórias magníficas de que o cliente ia chegar em cinco minutos e ele não tinha feito o jingle. Aí ele entrava em uma salinha e em três minutos escrevia. Vinha, mostrava para o cara e o cara chorava. Ninguém acreditava que ele conseguia fazer essas coisas”, conta o filho de Renato, Chico Teixeira.

Algumas composições eram tão boas que Renato deixava de lado para usar em seus shows com o Grupo Água e brincava com os colegas: “Não vou dar para a empresa não, muda que isso aí é meu. Isso é bonito, nós vamos cantar no show”. Uma das músicas mais famosas de Renato é fruto de um jingle. Amora foi feita inicialmente para uma campanha publicitária da fábrica de sorvetes Kibon, mas Renato gostou do resultado e preferiu fazer outro jingle para a empresa.

Depois da curva da estrada
Tem um pé de araçá
Sinto vir água nos olhos
Toda vez que passo lá

Sinto o coração flechado
Cercado de solidão
Penso que deve ser doce
A fruta do coração

Vou contar para o seu pai
Que você namora
Vou contar pra sua mãe
Que você me ignora

Vou pintar a minha boca
Do vermelho da amora
Que nasce lá no quintal
Da casa onde você mora

A música Amora fez sucesso em novelas da Rede Globo. Fez parte, por exemplo, da trilha sonora da segunda versão de Cabocla, um dos grandes sucessos de audiência do horário das 18 horas, ficando atrás apenas de Alma Gêmea (julho de 2005 a março de 2006) e Chocolate com Pimenta (setembro de 2003 a maio de 2004). Amora também estava entre as canções da primeira versão de Cabocla, exibida em 1979.

“A trilha sonora nacional da novela traz músicas sertanejas e modas de viola, (…) estão no repertório Rolando Boldrin, Teodoro e Sampaio, Renato Teixeira, Sérgio Reis, além de Caetano Veloso, Flávio Venturini, Ivan Lins e Milton Nascimento”.

Está aí uma obra-prima que nasceu graças a um jingle! Não tem como ouvir e não cantar junto, não é mesmo? Eu cantei, cante você também!

Sabe quem é o violinista mais rápido do mundo?

Até esses dias, achava que David Garrett fosse o violinista mais rápido do mundo, mas descobri que ele foi ultrapassado pelo britânico Ben Lee, que superou o colega, por praticamente dez segundos.

De acordo com o Guinness Book, o britânico conseguiu tocar “The Flight of the Bumble-bee” (O voo do besouro), composição de Nikolai Rimsky-Korsakov, em apenas 54 segundos, menos que o tempo de Garrett, 1 minuto e 5 segundos. Lee conseguiu, inclusive, quebrar o próprio recorde, já que em 2010 ele tinha tocado a música em 58 segundos.

Tecnicamente muito difícil, essa obra foi composta inicialmente para solo de violino e depois para piano. Aliás, um pianista russo, Vladimir von Pachmann, chegou a considerar a composição impossível de ser executada, tamanha a complexidade da partitura e a agilidade necessária.

Se você nunca ouviu falar em “The Flight of the Bumble-bee”, garanto que já a ouviu. A canção é muito usada em cenas de desenhos animados, como Tom e Jerry. A própria Minnie, por exemplo, já regeu uma orquestra, que apresentou essa música.